EROSIVIDADE MÉDIA E O CALENDÁRIO AGRÍCOLA DA MICRORREGIÃO SUDOESTE DO ESTADO DE GOIÁS

Rherison Tyrone Silva Almeida, Derblai Casaroli

Resumen


Objetivou-se estimar e mapear a erosividade (EI30) média mensal e anual, correlacionando-as ao calendário de plantio e colheita das principais culturas agrícolas de uma microrregião do sudoeste do estado de Goiás. Utilizaram-se registros pluviométricos (1980-2000) de trinta estações climatológicas para os mapeamentos da erosividades. As erosividades foram correlacionadas aos mapas de uso e cobertura do solo, bem como com o calendário de plantio e colheita das culturas de soja, milho, sorgo, algodão e cana-de-açúcar. Os menores EI30 ocorreram de maio a setembro, período correspondente à colheita do milho (2ª safra), sorgo, algodão e cana-de-açúcar. Já as os maiores EI30 foram detectados no período de novembro a março, meses de plantio da soja, milho (1ª e 2ª safra), sorgo, algodão e cana-de-açúcar, bem como a colheita da soja e do milho (1ª e 2ª safra). Janeiro, mês mais erosivo do ano, as culturas de soja, milho e algodão podem ser as mais afetadas pelos altos índices de erosividade. Como forma de redução das perdas de solo, recomenda-se o sistema de plantio direto, principalmente para o período de preparo de solo e semeadura das culturas plantadas nas estações primavera e verão.

Palabras clave


erosão pluvial; planejamento agrícola; cerrado goiano; grandes culturas

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Amaral, A. J.; Bertol, I.; Cogo N. P.; Barbosa F. T. (2008): Redução da erosão hídrica em três sistemas de manejo do solo em um cambissolo húmico da região do planalto sul-catarinense. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 32, pp. 2145-2155.

Andrade, N. S. F.; Martins Filho, M. V.; Torres, J. L. R.; Pereira, G. T.; Marques Júnior, J. (2011): Impacto técnico e econômico das perdas de solo e nutrientes por erosão no cultivo da cana-de-açúcar. Engenharia Agrícola, v. 31, pp. 539-550.

Antoneli, V. e Brandalize. F. F. (2013): Perda de água e solo no cultivo de milho com diferentes formas de cultivo em agricultura familiar na Região Centro-Sul do Paraná. Caminhos de Geografia (UFU), Uberlândia, v. 14, n. 47, pp. 84-94.

Bagatini, T.; Cogo, N. P. ; Gilles, L. ; Portela, J. C.; Portz, G.; Queiroz, H. T. (2011): Perdas de Solo e Água por Erosão Hídrica Após Mudança no TIpo de Uso da Terra, em Dois Métodos de Preparo do Solo e Dois Tipos de Adubação. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 3, pp. 999-1011.

Bertoni, J. e Lombardi Neto, F. (2010): Conservação do solo. 7 ed. São Paulo: Icone.

Cabacinha, C. D. e Castro, S. S. (2009): Relationships between floristic diversity and vegetation indices, forest structure and landscape metrics of fragments in Brazilian Cerrado. Forest Ecology and Management, v. 257, n. 10, pp. 2157-2165.

Carvalho, N. O (2008): Hidrossedimentologia prática. 2 ed. Rio de Janeiro: Interciência.

Cassol, E. A.; Eltz, F. L. F.; Martins, D.; Lemos, A. M.; Lima, V. S.; Bueno, A. C. (2008): Erosividade, padrões hidrológicos, período de retorno e probabilidade de ocorrência das chuvas em São Borja, RS. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.32, pp.1239-1251.

Cullum, R. F.; Wilson, G. V.; McGregor, K. C.; Johnson, J. R. (2007): Runoff and soil loss from ultra-narrow row cotton plots with and without stiff-grass hedges. Soil and Tillage Research, v. 93, n. 1, pp. 56-63.

CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento (2013): Acompanhamento da safra brasileira de grãos: safra 2013/14. Brasília: Conab, v. 1, n. 3, pp. 1-72.

Engel, F. L.; Bertol, I.; Mafra, A. L.; Cogo, N. P. (2007): Water erosion under simulated rainfall in different soil management systems during soybean growth. Scientia Agrícola, v. 64, pp. 187-193.

ESRI. (2014): ArcGIS Free Trial Version 10.2.2. Published by ESRI.

Gaertner, C.; Dedecek, R. A.; Biascaya, R. M. (2003): Produtividade de trigo e soja em Latossolo Vermelho distrófico sob erosão simulada e causada pela chuva. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 38, n.12, pp. 1443-1449.

Gilles, L.; Cogo, N. P.; Bissani, C. A; Bagatini, T; Portela, J.C. (2009): Perdas de solo, água, matéria orgânica e nutriente por erosão na cultura do milho, implantada sobre campo nativo, em diferentes métodos de preparo do solo e tipos de adubação. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. v.33, pp. 1427-1440.

Gonçalves, F. A.; Silva, D. D.; Pruski, F. F.; Carvalho, D. F.; Cruz, E. S. (2006): Índices e espacialização da erosividade das chuvas para o Estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 10, pp. 269-276.

Gonzalez Hidalgo, J. C.; Raventos, J.; Echevarria, M. T. (1996): Comparison of sediment ratio curves for plants with different architetures. Catena, v. 29, pp. 333-340.

Guerra, A. J. T. (2007): O início do processo erosivo. In: Guerra, A. J. T.; Silva. A. S.; Botelho, R. G. M. (Org.). Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. 3 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Hudson, N. (1981): Soil conservation. 2 ed. Ithaca: Cornell University Press.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção agrícola municipal do ano de 2013. Disponível em: . (consultado 10-07-2015).

Martins Filho, M. V.; Licciotti, T. T.; Pereira, G. T.; Marques Júnior, J.; Sanchez, R. B. (2009): Perdas de solo e nutrientes por erosão num argissolo com resíduos vegetais de cana-de-açúcar. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.29, n.1, pp.8-18.

Mello, E. L.; Bertol, I.; Zaparolli, A. L. V.; Carrafa, M. R. (2003): Perdas de solo e água em diferentes sistemas de um Nitossolo Háplico submetido à chuva simulada. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 27, pp. 901-909.

Morais, L. F. B.; Silva, V.; Naschenveng, T. M. C.; Hardoin, P. C.; Almeida, J. E. L.; Weber, O. L. S.; Boel, E.; Durigon, V. (1991): Índice EI30 de chuva e sua relação com o coeficiente de chuva do sudoeste de Mato Grosso. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 15, pp. 339-344.

Moreti, D.; Carvalho, M. P.; Mannigel, A. R.; Medeiros, L. R. (2003): Importantes características de chuva para a conservação do solo e da água no município de São Manuel - SP. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 27, n. 4, pp.713-725.

Oliveira, P. T. S.; Wendland, E.; Nearing, M. A. (2013): Rainfall erosivity in Brazil: A review. Catena, v. 100, pp. 139-147.

Oliveira, P. T. S.; Rodrigues, D. B. B.; Sobrinho, T. A.; Carvalho, D. F.; Panachuki, E. P. (2012): Spatial variability of the rainfall erosive potential in the state of Mato Grosso do Sul, Brazil. Engenharia Agrícola, v. 32, pp. 69-79.

Pessoa-De-Souza, M. A.; Almeida, R. T. S.; Neves, C. M. N.; Castro, J. P. V.; Castro, S. S. (2015): Comportamento químico de neossolos quartzarênicos em Mineiros, sudoeste goiano. Geociências, v. 34, pp. 335-347.

Probio. Mapeamento da Cobertura Vegetal do Bioma Cerrado (Relatório Final). Brasília, DF, 2007. Disponível em: . (consultado 06-07-2015).

Ryzhov, Y. V. (2009): The erosion accumulative processes within the basins of small rivers of southern East Siberia. Geography and Natural Resources, v. 30, n. 3, pp. 265-271.

Santos, D. S. e Sparovek G. (2011): Retenção de sedimentos removidos de área de lavoura pela mata ciliar, em Goiatuba (GO). Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 35, pp. 1811-1818.

Silva, A. M. (2004): Rainfall erosivity map for Brazil. Catena, v. 57, n. 3, pp. 251-259.

Silva, G. R. V.; Souza, Z. M.; Martins Filho, M. V.; Barbosa, R. S.; Souza, G. S (2012): Soil, water and nutrient losses by interrill erosion from green cane cultivation. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 36, pp. 963-970.

Simões, H. D. G. (2013): Modelação Espacial da Erosão Hídrica do Solo Aplicação da Equação Universal de Perda de Solo (EUPS). Castelo Branco, 2013. Tese (Mestrado em Sistemas de Informação Geográfica em Recursos Agro-Florestais e Ambientais). Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco, Portugal.

Sousa, G. B.; Martins Filho, M. V.; Matias, S. S. R. (2012): Perdas de solo, matéria orgânica e nutrientes por erosão hídrica em uma vertente coberta com diferentes quantidades de palha de cana-de-açúcar em Guariba - SP. Engenharia Agrícola, v. 32, pp. 490-500.

Souza, F. S.; Silva, M. L. N.; Curi, N.; Avanzi, J. C.; Pinho, R. G. V. ; Lima, G. C. (2010): Índice de cobertura vegetal pela cultura do milho no período de chuvas intensas no Sul de Minas Gerais. Ciência e Agrotecnologia, v. 34, pp. 345-351.

Terranova, O. G. e Gariano, S. L. (2015): Regional investigation on seasonality of erosivity in the Mediterranean environment. Environmental Earth Sciences, v. 73, n.1, pp. 311-324.

Valvassori, M. L. e Back, A. J. (2014): Avaliação do potencial erosivo das chuvas em Urussanga, SC, no período de 1980 a 2012. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 38, n. 3, pp. 1011-1019.

Villela, S. M. e Mattos, A. (1975): Hidrologia aplicada. 1 ed. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil.

Wischmeier, W. H. e Smith, D. D. (1958): Rainfall energy and its relationship to soil loss. Transactions American Geophysical Union, v. 39, pp. 285-291.

Wischmeier, W. H. e Smith D. D. (1978): Predicting rainfall erosion losses. Washington: Agricultural Research Service Handbook.




Licencia Creative Commons

Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivar 4.0 Internacional.


GeoFocus es la revista del Grupo de Tecnologías de la Información Geográfica de la Asociación de Geógrafos Españoles. Recibe soporte institucional y técnico de RedIRIS (Red Española de I+D soportada por el Gobierno de España), de la FECYT (Fundación Española para la Ciencia y la Tecnología) y Grumets (Grupo de Investigación Métodos y Aplicaciones en Teledetección y Sistemas de Información Geográfica).